Blog da Fátima

Maquiagem Orgânica conquista passarelas e celebridades.

Consumo consciente deixou de ser apenas uma tendência para ser uma realidade dos tempos atuais. A atenção dos consumidores com os ingredientes que são ingeridos fez com que marcas de produtos naturais e orgânicos ganhassem espaço no mercado. Se o primeiro passo foi repensar os alimentos, a onda agora são os produtos de beleza naturais.

“Muitas vezes cuidamos da alimentação, mas esquecemos do maior órgão do nosso corpo, a pele. Por isso acredito em cosméticos orgânicos e naturais, que tratam a pele e não tem nada químico em suas fórmulas”, afirma Yasmin Brunet, uma das principais defensoras do veganismo, em sua conta no Instagram, ao falar do assunto.

Maquiagem e cosméticos orgânicos são as novas bandeiras das celebridades. Além de Yasmin Brunet, Luisa Mell, Alicia Silverstone e Gwyneth Paltrow divulgam seus hábitos de beleza natural nas redes sociais e já emprestam seus nomes para novos produtos. As atrizes de Hollywood assinam duas coleções de maquiagem orgânica e natural com a Juice Beauty.


 

A importância da agricultura e dos produtos orgânicos

A agricultura orgânica não é apenas um processo de cultivo que culmina em produtos saudáveis, de alto valor nutricional e sem qualquer tipo de contaminantes. Ela também contribui para a criação de ecossistemas mais equilibrados, ajudando a preservar a biodiversidade, os ciclos naturais e as atividades biológicas do solo.

Além disso, existe outro aspecto da agricultura orgânica que vai além da preservação da qualidade dos produtos ou do meio ambiente. Ela é uma grande aliada da agricultura de baixo volume, como a agricultura familiar.

A aplicação dos princípios agroecológicos na pequena propriedade rural consegue aumentar sua sustentabilidade econômica-financeira, aumentando os benefícios para o agricultor, sua independência no uso de energias não renováveis e a preservação de sua identidade cultural e da sua condição de saúde, uma vez que não faz uso de elementos prejudiciais ao homem.

Assim, fica claro que os benefícios do consumo de produtos orgânicos não se refletem apenas em nossa saúde. Na verdade, quando optamos por esses produtos ajudamos a fortalecer a sustentabilidade de uma cadeia de suprimento ecológica e comercialmente justa.

O que são produtos orgânicos?

Os produtos orgânicos são o resultado de um processo de cultivo sustentável que prevê o manejo adequado da terra e dos recursos naturais baseado nos princípios agroecológicos. A produção é feita sem o uso de sementes geneticamente modificadas, pesticidas, herbicidas, fungicidas e também não há geração de resíduos que poluam a água e o solo.
Para os artigos processados, como cosméticos e itens de vestuário, é proibido usar no processo de fabricação: radiação, ingredientes geneticamente modificados, conservantes químicos (exceto os previstos pela legislação), derivados de petróleo e outros. Todas essas restrições buscam manter a integridade dos insumos.

Assim, produtos “in natura” e insumos para processamento só são considerados orgânicos se cultivados seguindo todas as regras do plantio orgânico estabelecidas pela legislação brasileira e internacional.

Sobre as certificações

Os produtos orgânicos devem ser certificados por um Organismo de Avaliação da Conformidade Orgânica credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Atualmente estão previstas dois tipos de certificações: Certificação por Auditoria e os Sistemas Participativos de Garantia.

A certificação por auditoria é o procedimento mais usado em todo o mundo. As certificadoras, baseadas em procedimentos e critérios nacionais e internacionais, avaliam periodicamente a conformidade da produção e certificam sua adequação aos requisitos.

Já os sistemas participativos de garantia são fundamentados na responsabilidade coletiva dos membros do sistema, geralmente composto por produtores, consumidores, técnicos e outras pessoas com interesse em melhorar os aspectos relacionados ao tema.

Mas nem todos os produtos orgânicos apresentam certificação. Reconhecendo a importância da agricultura familiar, a legislação brasileira criou uma exceção e autorizou o comércio de produtos orgânicos diretamente ao consumidor, desde que o produtor esteja vinculado a uma Organização de Controle Social – OCS. Essa, estabelecida formal ou informalmente, deve garantir o acesso dos consumidores às suas propriedades, dando transparência ao processo.

Como identificar um produto orgânico

Antes de comprar, é preciso saber reconhecer se um produto foi produzido segundo as melhores práticas agroecológicas. Os produtos orgânicos são essencialmente classificados segundo a quantidade de insumos orgânicos que possuem. Em geral, produtos certificados apresentam selos identificando a natureza da certificação.

Assim, da mesma forma que é importante ler os rótulos dos produtos que compramos (leia mais sobre o assunto no artigo “Como ler os rótulos dos alimentos que consumimos” ), também é importante entender as classificações dos produtos orgânicos. Veja abaixo como estão classificados hoje:


Produto 100% Orgânico: produto “in natura” cultivado seguindo todas as regras da produção orgânica;
Produto Orgânico: o produto contém, pelo menos, 95% de ingredientes organicamente produzidos, excluindo água e sal;
Produto feito com ingredientes orgânicos: o produto contém, pelo menos, de 70% a 95% de ingredientes orgânicos;
Produto Natural: o produto contém menos de 70% de ingredientes orgânicos, mas segue as mesmas regras usadas para os produtos orgânicos processados.
Cabe ressaltar que algumas certificações vão além da quantidade de insumos orgânicos que um item apresenta, garantindo também sua origem baseada nos princípios da economia solidária e do comércio justo (leia mais sobre o assunto no texto “Impactos sociais e ambientais do consumo” ).


Do tradicional para o orgânico

Inserir produtos orgânicos em nossa rotina é muito saudável e responsável. Não só porque o sabor e o aroma desses produtos são fantásticos, mas também porque incentivar seu comércio preserva os recursos naturais, a fauna e a flora local, além de melhorar nossa qualidade de vida.

Mas se você ainda tem dúvidas sobre os benefícios dos orgânicos em relação aos produtos tradicionais, seguem abaixo algumas considerações:

  • Só acrescentamos certos tipos de toxinas ao nosso organismo após a criação da agricultura moderna. Antes, todos os alimentos eram produzidos de forma orgânica respeitando os ciclos naturais. Hoje, encontramos de tudo o tempo todo, mas não com a mesma qualidade;
  • Agrotóxicos e fertilizantes agrícolas são grandes poluidores de rios e lençóis freáticos. Mesmo assim, um pequeno agricultor tradicional não consegue competir com as grandes produções sem usá-los. Competindo na agricultura tradicional, ele se sujeita ao poder de barganha de grandes compradores e, assim, as receitas sofrivelmente crescem, fazendo o agricultor aumentar o uso de agrotóxicos e adubos químicos para aumentar a produtividade;
  • Monocultura é contrária à biodiversidade. Áreas gigantescas cultivando o mesmo tipo de produto tornam o sistema frágil e suscetível a fatores externos de desequilíbrio, o que aumenta a necessidade de agrotóxicos e fertilizantes.

Assim, os benefícios do consumo de orgânicos vão além da melhora em nossa alimentação, promovendo também mudanças positivas em toda essa cadeia produtiva.

Por: Dinheirama.


 

Benefícios dos produtos orgânicos para saúde

De acordo com a empresa especializada em pesquisa de mercado, GfK, 42% dos brasileiros nunca consumiram produtos orgânicos. Será mesmo que os produtos orgânicos são bons para a saúde? O que são? Quais são seus benefícios?

Os alimentos orgânicos são produtos cultivados com alternativas que respeitam o meio ambiente, livre de química, por isso são melhores para a saúde. Eles são cultivados com sistemas naturais para combater pragas e fertilizar o solo. Os animais são criados sem a adição de antibióticos, hormônios ou anabolizantes em sua alimentação.

Os orgânicos são diferentes dos produtos comuns que contêm em sua composição agrotóxicos, drogas veterinárias, alumínio, chumbo, mercúrio, dentre outras químicas. Para entender o que estas substâncias representam no organismo, ao ingerir alimentos comuns a pessoa também consome em grande quantidade metais pesados, nitrato, benzeno, entre outros aditivos que podem causar até câncer.
A influência dos produtos com estas substâncias é tão intensa na saúde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de produtos livres de aditivos para diminuir o índice de doenças alimentares, que alcançam 70% das pessoas no mundo.

Dentre as doenças que podem ser provocadas pelas químicas compostas nos alimentos comuns são as inflamações de estômago, diarreia, alergia e intoxicação alimentar, doenças degenerativas – diabetes, depressão, insuficiência cardíaca, etc. -, câncer, infertilidade e até Mal de Alzheimer e de Parkinson.

Segundo pesquisadores norte-americanos, só nos EUA 15 milhões de pessoas têm alergias alimentares por causa dos agrotóxicos.

Apesar de todos os benefícios, o consumo e produção de alimentos orgânicos ainda são baixos. Em 2006, por exemplo, o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística registrou 4,93 milhões de hectares de área destinada ao cultivo de produtos orgânicos. Os alimentos comuns têm mais do dobro de espaço reservado.

O número pode ser preocupante não só para quem consome e procura pelos produtos orgânicos – como a produção é baixa, os preços geralmente sobem -, mas também podem ser ruins para a saúde dos agricultores. Os agrotóxicos são responsáveis por alergias e complicações na saúde de quem produz o alimento com aditivos.

Além disso, a produção de alimentos orgânicos evita a erosão do solo, por meio de técnicas que respeitam a natureza, como o plantio consorciado e compostagem que mantêm o solo fértil e produtivo. O tipo de cultivo também garante a biodiversidade, protegendo animais de ingerirem compostos químicos. A energia também é economizada, com o uso de matéria orgânica e longe de petróleo – comum na agricultura tradicional para a o uso de agrotóxicos.


Veja mais benefícios dos alimentos orgânicos:

 

  1. São funcionais e fazem bem para a pele. De acordo com pesquisadores da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, os alimentos livres de agrotóxicos conseguem ser até 69% mais antioxidantes que os comuns.
  2. É mais nutritivo. Segundo uma pesquisa feita em Chicago, EUA, e publicada no JournalofAppliedNutrition, os alimentos orgânicos têm 118% a mais de magnésio, 125% de potássio, 63% de cálcio e 73% de ferro.
  3. Tem mais vitaminas. Pesquisadores da Universidade do Estado de São Paulo (UNESP) descobriram que os alimentos orgânicos contêm mais vitamina A, importante para o crescimento, ossos, visão, desenvolvimento e manutenção dos tecidos do corpo (músculo e pele).
  4. Tem mais sabor. Os compostos químicos usados no solo fazem com que os alimentos comuns percam o gosto original, junto com suas propriedades. Por isso, os produtos orgânicos têm uma concentração de sabor maior que os demais.

Por: Caroline Sarmento.


 

Da horta direto para sua mesa num só click

Ter uma alimentação saudável e orgânica sem ter que enfrentar as temidas filas de supermercados não é impossível. Os Orgânicos da Fátima podem ser entregues em cestas no conforto das casas de seus consumidores. No site da empresa o cliente tem acesso a uma variedade de legumes, frutas, brotos e verduras de época disponíveis para a entrega, preenche um formulário e escolhe os melhores dias para receber a encomenda.

Para receber as cestas o cliente precisa fazer um plano de assinatura mensal e optar pelo modelo de cesta que varia entre Kit Família com mix de brotos, legumes variados, folhagens, frutas da época e uma surpresa ou Kits de Brotos, com brotos variados.

Os produtos ou “pérolas”, como são chamados pela proprietária da empresa, Fátima Anselmo, são semeados, tratados, colhidos e higienizados por uma equipe especializada, conservando suas propriedades nutricionais e frescor.

Mas, muito além da saúde ao consumir os produtos, quem consome orgânicos contribui para um modelo de agricultura que busca diversificar e integrar a produção de espécies vegetais e animais com o objetivo de criar ecossistemas mais equilibrados.

Alimentos orgânicos são produzidos através de técnicas específicas, buscando otimizar recursos naturais e sócio-econômicos, respeitar a cultura das comunidades rurais, objetivar a sustentabilidade econômica e ecológica, e minimizar o uso de energias não-renováveis, sem empregar materiais sintéticos, organismos modificados geneticamente ou radiações ionizantes.

Leve saúde para sua mesa!
Leve os Orgânicos da Fátima e tenha pratos mais saudáveis.

 

Sobre a loja

O Orgânicos da Fátima surgiu em 2001 em Brejal, distrito de Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, a partir da iniciativa do casal Fátima Anselmo e Adilson Silva em levar aos filhos, Samuel e Gabriel, uma alimentação saudável e uma vida mais próxima da natureza. Do plantio para consumo próprio surgiu a paixão pela agricultura familiar, com foco na sustentabilidade e no desejo de oferecer a outras pessoas um acesso facilitado a alimentos orgânicos.

Pague com
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

Orgânicos da Fátima - CNPJ: 20.054.016/0001-94 © Todos os direitos reservados. 2019